.

.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A alegria

Quando o homem faz iluminação interior, otimiza a vida, cadencia seus passos, avalia cada segundo de sua existência, é feliz, muito feliz na felicidade que produz ao próximo.
Sabe traduzir o seu pensamento feliz em gestos de engrandecimento à pessoa humana, faz identidade, solidariedade, dignificando a todos, com prazer.
Suaviza as suas palavras, abranda seu coração, alimenta, constrói o mundo pelo amor;
está sempre caminhando na integração com todos. 
A cada segundo, coloca sua energia, sua consciência, na construção do bem, pois sabe que todas as grandes transformações operadas pelo conhecimento humano se devem ao equilíbrio mental, espiritual e moral do homem.
Trabalha com afinco, está livre da angústia, da miséria, da vacilação, uma vez que repousa o seu pensamento no sentido da construção humana, da liberdade, do bem, da justiça e da harmonia.
É sensível ao diálogo, procura sempre o entendimento, tem boa vontade, é fraterno com todos.
No exercício do cotidiano está sempre pronto a descobrir e viver o lado bom da vida, elevando o espírito humano acima das provações, da dor, do sofrimento e das angústias;
sua vida é um cântico de agradecimento a Deus.
A sua potencialidade aumenta pela força, pela disciplina, fazendo auto-estima, esperança, autoconfiança, exercitando o autoconhecimento.
O homem espiritualizado não é triste, deprimido, entediado, tem confiança em si mesmo, fé no Creador, respeitando o próximo e procurando compreender a diversidade humana.
A força da alegria transforma a vida humana, direcionando-o para paragens que são estímulos ao trabalho e à dedicação ao bem.
A alegria no coração humano foi, é e será sempre poderosa alavanca evolutiva para o moral, o espiritual e o caráter do homem.
A certeza que o homem espiritualizado tem da vida eterna, o liberta de tudo o que possa magoá-lo, ferí-lo, desagradá-lo no trânsito evolutivo da Terra.
Quem faz, vive o processo construtivo da alegria, tem consciência crítica de que o futuro só lhe reserva luz, esperança, dignidade, paz.
O homem espiritualizado, educado, portanto com uma boa formação cultural e moral, tem o dever de fazer autodisciplina, autoconhecimento, aprendizado permanente, expressando em todas as situações da existência, o prazer, a alegria de viver, a fé no Creador, a certeza de que todas as experiências são forças evolutivas do espírito.
Esperança, alegria, jubilo.

Mensagem extraída do livro:
“HORIZONTES DA ALMA”
O abraço afetuoso LEOCÁDIO JOSÉ CORREIA
Mensagem psicografada pelo médiun Maury Rodrigues da Cruz Em Jan-2001





Nenhum comentário:

Postar um comentário